Arquivos

Votação
 Dê uma nota para meu blog

Outros links
 Cristiane Claro
 Danilo & Rodrigo
 Mário Bortolotto
 Leandro Pena
 Jornal da poesia
 Sergio
 Bruna Beber
 The Doors
 Roberto
 Litinha
 Gisele
 Alex Mandarino
  A.SOFYA




Blog de fabio.poeta
 


There is a Light that Never Goes Out

Foto by Fabio Teles

The Smiths

Há uma luz que nunca se apaga

Me leve para sair esta noite
onde há musicas e pessoas
que sejam jovens e vivas
dirigindo em seu carro
eu nunca nunca quero ir para casa
porque eu nao tenho mais uma casa
Me leve para sair esta noite
Porque quero ver pessoas e eu
quero ver luzes
dirigindo em seu carro
oh por favor nao me leve para casa
porque nao é minha casa, é a casa deles
e eu nao sou mais bem vindo por lá
e se um ônibus de dois andares
bater em nós
morrer ao seu lado
que maneira celestial de morrer
e se um caminhão de dez toneladas
matar-nos
morrer ao seu lado
o prazer e o privilégio são meus
me leve para sair esta noite
oh me leve para qualquer lugar, eu não ligo
e na passagem do túnel escuro
eu pensei oh Deus, minha chance finalmente chegou
(mas então um estranho medo me tomou e eu simplesmente
não conseguia pedir)

Me leve para sair esta noite
Leve-me para qualquer lugar, eu não ligo
apenas dirigindo em seu carro
eu jamais quero ir para casa
Porque não tenho uma
não tenho uma



Escrito por fabio.poeta às 23h34
[] [envie esta mensagem
] []





Pablo Neruda

Foto de Mute

MORRE LENTAMENTE

Morre lentamente quem não viaja, quem não lê, quem não
ouve música, quem não encontra graça em si mesmo


Morre lentamente quem destrói o seu amor próprio, quem
não se deixa ajudar


Morre lentamente quem se transforma em escravo do
hábito, repetindo todos os dias os mesmos trajetos, quem
não muda de marca, não se arrisca a vestir uma nova cor
ou não conversa com quem não conhece


Morre lentamente quem faz da televisão o seu guru.


Morre lentamente quem evita paixão, quem prefere o negro
sobre o branco e os pontos sobre os "is" em detrimento
de um redemoinho de emoções justamente as que resgatam o
brilho dos olhos, sorrisos dos bocejos, corações aos
tropeços e sentimentos.


Morre lentamente quem não vira a mesa quando está
infeliz com seu trabalho ou seu companheiro, quem não
arrisca o certo pelo incerto para ir atrás de um sonho,
quem não se permite pelo menos uma vez na vida fugir dos conselhos sensatos.


Morre lentamente, quem passa os dias queixando-se da sua
má sorte ou da chuva incessante


Morre lentamente, quem abandona um projeto antes de
inicia-lo, não pergunta sobre o assunto que desconhece
ou não responde quando lhe indagam sobre algo que sabe.


Evitemos a morte em doses suaves, recordando sempre que
estar vivo exige um grande esforço muito maior que o
simples fato de respirar.


" Somente a perseverança fará com que conquistemos um
estágio esplêndido de felicidade".



 



Escrito por fabio.poeta às 17h28
[] [envie esta mensagem
] []



 
  [ página principal ] [ ver mensagens anteriores ]